quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Resenha || Selvagens


Título: Selvagens - Unidos ao acaso
Autores: Sue Hecker e Danilo Barbosa
Editora: Independente
Páginas: 300
Ano: 2018
Skoob: AQUI
Comprar: AQUI

Como se controla o coração, se a única coisa que ele deseja é ser livre?Janice sempre foi apaixonada pela beleza e mistérios proporcionados pela natureza. Filha de biólogos mundialmente reconhecidos, tomou para si o desafio de continuar o legado dos pais, não deixando, pois, espaço para o amor ou outras distrações.Agora, na Flórida, a brasileira vê seu principal projeto correr o risco de ser encerrado por falta de patrocínio. E, na tentativa de salvá-lo, acaba por colocar a própria vida em risco.Pega por uma enorme tempestade enquanto estava em alto-mar, Janice vai parar em um lugar inesperado, uma ilha verde e exuberante, desconhecida pela maioria das pessoas.Lá, ela conhece Tarso, um homem misterioso e atraente, cujo comportamento se divide entre a brutalidade de um animal selvagem e o cavalheirismo de um homem da metrópole. Alguém que possui tudo que atrai e, ao mesmo tempo, repudia a bióloga, fazendo com que ambos entrem em choque.Será que Janice irá se render àquele que se autodenomina o rei do lugar? Um homem desconhecido e sensual, que mal se mantém vestido e que constantemente a leva à loucura? Ou será ela capaz de domesticar a fera que habita dentro de Tarso?Qual os limites que ambos serão capazes de ultrapassar pelo desejo?Explodindo em tensão e sensualidade, Sue Hecker e Danilo Barbosa proporcionam às leitoras uma história apaixonante, que será difícil esquecer. Duas forças da natureza. Um homem e uma mulher dispostos a fazer valer suas vontades, tendo como cenário as paradisíacas ilhas das Bahamas. Viaje por essa trama explosiva, criada por dois nomes que são referência no romance nacional contemporâneo. Descubram o que pode acontecer quando nos entregamos aos nossos desejos mais primitivos. Sejam Selvagens.
Janice é uma corajosa e forte bióloga que, empenhada em seu objetivo de salvar os animais acaba surpreendida por uma tempestade e levada a uma remota e inabitada ilha. O que Janice não imaginava era que a ilha eram sim habitada por um homem rude e grosseiro, mas ao mesmo tempo educado e encantador.


Tarso ama o lugar onde mora. Tentando fugir do seu passado ele vive agora sossegado na remota ilha que ganhou do seu avô, mas o clima muda quando chega em sua ilha uma misteriosa e intrigante mulher. Tarso poderia manda-la de volta a civilização, mas algo naquela bela e misteriosa mulher o atrai e ele não vai deixa-la partir enquanto ele mesmo não estiver pronta para isso.

Acostumado a vida simples e rudimentar que leva Tarso se ver obrigado a ensinar Janice a de adaptar a essa nova realidade, enquanto isso luta consigo mesmo contra a atração e o desejo por ela que o assolam. Enquanto tenta mandar sinais para que seja resgatada Janice já não tem tanta certeza de querer ir embora. 

Quando se vê obrigada a partir Janice tem a sensação de que seu coração ficou na ilha com o homem rude porem carinhoso que acolheu, enquanto isso Tarso está ciente de que está deixando o amor da sua vida partir, mas o que ele, um pobre e rude homem pode oferecer aquela mulher que parece ter tudo inclusive os mais belos e ricos sonhos?


Bem ao estilo "Mim Jane. Você Tarsan" Selvagens é um livro repleto de reviravoltas, cenas divertidas e diálogos fascinantes. Tarso e Janice apesar de parecer não são tão opostos quanto imaginam. Enquanto lutam contra a forte atração que sentem eles vão vivendo essa nova aventura rodeada de animais, pouca roupa, e cenas hilariantes que nos prendem ao longo da leitura. 

Se você curte um romance leve e divertido, com uma boa pitada de drama e personagens cativantes essa é uma super dica de leitura para você. Eu li, me diverti e recomendo. Uma leitura fluida, leve e interessante, que você não pode deixar de realizar. 

sábado, 11 de agosto de 2018

Resenha || O segredo do conde

Título: O segredo do Conde - Os Sedutores de Havisham 02
Autora: Lorraine Heath 
Editora: Gutemberg
Páginas: 284 
Ano: 2018
Skoob: AQUI
Comprar: AQUI


Numa noite de verão, Edward Alcott cede à tentação e beija Lady Julia Kenney em um jardim escuro. No entanto, a paixão que ela agita dentro dele, deve ser deixada nas sombras, isto porque ela ama seu irmão gêmeo, o Conde de Greyling. Mas quando a tragédia ataca, para honrar o voto que ele faz ao seu irmão moribundo, Edward deve fingir ser Greyling até a condessa entregar seu bebê. Depois que seu marido retorna de uma estada de dois meses, Julia o encontra mudado. Mais ousado, mais atrevido e mais perverso, mesmo que ele limite seus encontros para beijos. A cada dia que passa, ela se apaixona mais profundamente. Para Edward, as brumas do desejo provocadas naquela noite há muito tempo são rapidamente reavivadas. Ele anseia ser o marido dela de verdade. Mas se ela descobrir sua artimanha, ela o desprezará - e a lei inglesa o impede de se casar com a viúva de seu irmão.No entanto, ele deve se atrever a arriscar tudo e revelar seus segredos se ele realmente deve levar tudo.



Edward  e seu irmão gêmeo Albert tiveram que passar por uma das grandes tristezas da vida: perder o pai ainda jovens. Mas a dor os tornou ainda mais unidos e essa amizade durou até que ambos cresceram e vivaram homens. Albert conheceu e se apaixonou pela bela e doce Lady Julia, que passou a receber a maior parte da sua atenção deixando assim seu irmão enciumado.

Certa noite Edward vê Lady Julia se esgueirando pelo jardim e resolve segui-la. Ao encontrar-se sozinho com ela e sem resistir a tentação ele acaba beijando-a, mas ao descobrir que não era seu amado ela o manda embora e desde então eles se tratam com frieza e evitam ao máximo a presença um do outro.

Até que pouco depois do seu casamento Edward convence Albert a fazer uma ultima viajem juntos para relembrar o passado e fechar um ciclo entre eles. O que eles não esperavam era que Conde de Greyling morresse durante a viajem e que pediria a seu irmão que se fizesse passar por ele para que sua esposa não corresse o risco de perder o filho que carrega.

Sentindo-se culpado e decidido a atender o ultimo desejo do irmão Edward volta para casa disposto a fingir ser o seu irmão, marido da doce condessa de Greyling, mas a proximidade entre eles desperta em ambos sentimentos que eles tentaram esconder durante anos. 

Edward não conseguiu esquecer o beijo daquela noite, mas não seria capaz de fazer nada contra a felicidade do seu irmão por isso durante anos guardou isso para si. Julia fica desolada ao saber sobre a morte do marido e por isso está decidida a junto com a sua filha abandonar a vida e a casa que divide com o cunhado, mas quando ela lembra todas as sensações que ele provoca nela e quão segura pode se sentir em seus braços ela duvida de que esteja tomando a decisão certa, mesmo que o casamento entre cunhados seja proibido e que viver uma mentira pareça tão impossível para ambos.




"O seu plano, o tempo todo, era tomar tudo. O titulo, as propriedades e até mesmo a esposa e a filha do seu...- Não! Eu nunca planejei tomar nada disso...- O que diabos você estava esperando?- Deixar de amar você."

Eu sou suspeita para falar desse livro, pois sou apaixonada pela escrita da autora. Nesse livro somos apresentados a mais um enredo encantador, carruagens, vestidos, títulos e amores impossíveis são os ingredientes perfeitos para essa história encantadora e apaixonante.

Não é difícil  nos colocar no lugar de ambos os protagonistas, de um lado um homem forte e poderoso que acaba de perder o irmão, a pessoa que mais amava no mundo e está sendo quase obrigado e viver como marido da mulher proibida que assombra seus pensamentos. Do outro Julia, uma mulher vivaz e corajosa que viveu sempre de acordo com as regras, mas que se vê agora em um duelo interior entre continuar seguindo as regras ou seguir de vez seu coração.

Com cenas de arrancar suspiros e emoção, mais uma vez a Lorraine Heath acerta em cheio na escrita de uma história fluida, apaixonante e cheia de lição, capaz de conquistar o leitor de forma arrebatadora.

Se recomendo?
Claro que sim. Mil vezes sim. 



“- Se você me beijar, vou me perder – ela disse.– E eu vou encontrar você, para trazê-la de volta.”


segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Deixa Eu Te Contar || A Glória Da Cidade Natal




"Mesmo sendo uma pequena história, ainda assim é encantadora. Wes escreveu um conto que nos fez se colocar no lugar do personagem e sentir todos os sentimentos que ele estava passando, além do cenário que é imaginado com facilidade. Fascinante <3 ” Kah (Blog Cupcakeland)







A glória da cidade natal

A sensação de voltar é indescritível. 15 anos... Foi o tempo que levei para me reconstruir, para melhorar, evoluir. Eu sei que foi a escolha certa. E não me arrependo muito de tê-la feito.

Quando o táxi passa sobre a Ponte Crusby, que nessa época do ano está coberta de neve, uma nostalgia me invade e sou obrigado a parar naquele lugar que fora um marco na minha vida. No meu passado. 

Ainda dói pensar nele como passado. 

Peço para o taxista esperar alguns minutos, enquanto desço do carro afim de caminhar, sob a neve fria, até o outro lado da ponte. Ele diz, em um tom quase ríspido, que tudo bem, mas não devo demorar, pois a previsão anuncia uma nevasca que chegará em poucas horas. Apenas aceno afirmativamente com a cabeça.

Na minha trajetória até o outro lado da ponte, penso em como senti falta desse lugar. Dos altos prédios, das ruas arborizadas, dos museus e monumentos. Da minha cidade.
Quantos momentos inesquecíveis e dolorosos. Quantos sentimentos espalhados por cada uma daquelas ruas.

Absorvo o ar frio que me preenche e sigo de volta para o carro, com a certeza de que minha estadia aqui me trará a memória tudo que vivenciei nessa cidade. Tudo. Pensar nessa palavra me traz um arrepio a espinha, e com ele um certo medo. Medo da dor. De lembrar. 

Volto para o carro e grito mentalmente para que o motorista parta. Como se ele entendesse o que pensei, ele segue com o carro até o meu desembarque final. 

Encaro meus olhos castanhos e meu rosto negro com a barba por fazer no espelho, e vejo meu semblante meio assustado. Desvio o olhar de mim mesmo e busco meu celular na bolsa, com o propósito de passar o tempo enquanto não chegamos ao meu destino.

Ao ficar no início da minha antiga rua, pago ao motorista e pego minha mala. A mala que ele me deu. Nesse momento penso em como as feridas, que estão aparentemente cicatrizadas, podem doer. Muito. 

Tento me livrar dos diversos pensamentos que surgem em minha cabeça e me dirijo o mais rápido que consegui para minha casa. Bom, a casa dos meus pais.

Ao andar por aquela rua, pelo caminho que fiz tantas vezes, sou invadido por um sentimento familiar e estanho. Vejo as pessoas que conheci indo para suas casas, quando vejo um jovem garoto vindo em minha direção, que para diante de mim e pergunta: 

— Moço, o senhor precisa de ajuda? Está perdido? A voz dele é de alguém que de fato quer ajudar. Uma coisa difícil de ser vista. 

— Obrigado. Eu não estou perdido. Apenas vagando. 

Ele faz um movimento positivo com a cabeça, como se entendesse que estou perdido em meus pensamentos e segue seu caminho. 

Continuo andando e ao ver um enorme carvalho no fim da rua, o rosto do Lucian aparece nitidamente em minha mente e começo a chorar, mas não paro de andar. 

Lembro de quando o conheci, ambos com dezessete anos, não sei dizer se foi amor à primeira vista, porém assim que o vi, uma conexão entre nós se estabeleceu e eu sabia que ficaríamos juntos. Ele era o meu mais novo morador da rua e fiquei responsável por ajudá-lo a se estabelecer na escola e na vizinhança, assim nos aproximamos bastante e namorar foi apenas uma consequência da relação de amizade e confiança que construímos. 

"A vida é um sopro." As pessoas dizem isso o tempo inteiro, mas no fundo nunca pensam na profundidade que essa frase tem. 

No fim do ensino médio, descobrimos que o Lucian tinha uma doença terminal. Aquilo abalou a todos nós, mas ele, que deveria ser o mais afetado por aquilo, se manteve calmo e sereno o tempo inteiro até o dia que ele se foi. Ninguém pode dizer que ele não aproveitou o pouco que viveu como um furacão, foi rápido sim, mas não foi um sopro. Ele era intenso, forte. E saber daquilo me destruiu por completo. Eu tinha milhares de planos para o futuro. Nós tínhamos. E tivemos que ver um por um escapar do nosso alcance. Minha única alternativa foi fugir de tudo aquilo, de toda aquela dor sufocante e ir estudar em uma universidade no outro lado do oceano. Para ficar o mais longe que eu pudesse de tudo aquilo que me lembrasse dos abraços quentes e sorrisos que enchiam o ambiente de luz do Lucian. E aqui estou eu, de volta ao lugar que me deu tudo para depois arrancar de mim.

Quando me dou conta, já estou parado em frente da casa dos pais dele, e o carvalho continua ali, com seus galhos afrontosos e umas poucas folhas que ainda ousam resistir ao frio do inverno. 

Me aproximo daquela grandiosa árvore e começo a procurar algo que não sei bem o que é, como se meu inconsciente quisesse me mostrar alguma coisa importante. Vou passando minha mão pelo tronco firme e gélido do carvalho quando sinto uma ondulação. Afasto a neve que cerca aquela área e vejo ali as iniciais "L + T" grafadas dentro de um coração. Lucian e Taylor. Nós dois. Pode parecer clichê, mas minha alegria ao ver aquilo é imensurável. Percebo que ainda não havia parado de chorar, e agora estou soluçando desesperadamente. Tento parar, respirar para me recuperar um pouco antes que alguém me veja aqui. 

Em um ato inconsciente me atiro naquele tronco e o abraço. Fecho os olhos e imagino o Lucian me vendo de onde quer que ele esteja. Sussurro um Eu ainda amo você e como se fosse uma resposta, uma pequena folha se solta da árvore e pousa em meus lábios e naquele instante me sinto feliz. Imensamente feliz. 

Abraçar aquela árvore, que representa tanto para mim, me mostra que não vou mais aguentar coisas ruins. Mostra que ainda estamos unidos, que não devo tolerar a dor, que estar aqui é uma dádiva do meu mundo, é quem eu me tornei. 

Solto o carvalho e me direciono a minha antiga casa. Ao olhar para trás, percebo que não haveria melhor lugar do que esse para eu estar agora: na minha cidade natal. Onde as memórias são sempre frescas e as pessoas que conheci, são a maravilha de agora. 




sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Resenha || Inexplicável amor

Título: Inexplicável amor
Autora: Paula Toyneti Benalia
Editora: The gift Box
Páginas: 195
Ano: 2018
Skoob: AQUI
Comprar: AQUI

Nunca era um grito de vitória, mas sim de dor. Todos olhavam extasiados e, por fim, ninguém enxergava o vazio ali. Aqueles olhos, azuis como uma imensidão de águas, se cruzaram com os meus, penetraram na minha alma e compreenderam que não tinha comemoração. A dor de ser compreendido, pela primeira vez na vida, fez com que meus olhos se escurecessem. Era inadmissível que alguém participasse do meu sofrimento, mas não tinha volta. Ela compreendia.”Quando Diogo recebe o convite para participar de outra corrida de carro, ele não se entusiasma. Por mais que ame a adrenalina dos rachas, das corridas clandestinas e dos carros potentes, o vazio da sua vida não se aplaca mais. Sempre falta algo. Nada é suficiente. Mas as circunstâncias mudam quando ele descobre que seu maior inimigo estará na competição e qual será o prêmio do vencedor. Lorena vê todos os seus sonhos destruídos quando é vendida pela família para traficantes. Com seu destino em mãos inimigas, tudo que importa é salvar a vida do irmão que ela luta para manter vivo. Nessa jornada, ela se entrega, sem saber o que o destino reserva para ela. Dez carros, dez homens, um ganhador e um prêmio que pode mudar o placar final.


"O amor inexplicável faz o coração bater mais depressa."

Diogo é um piloto de corridas clandestino que vê nesses momentos de adrenalina a força que precisa para continuar vivendo. Ele está envolto em sombras, dor, amargura e tristeza depois que sua mãe morreu e de ter sido negligenciado pelo seu pai, por isso vive em busca de sensações que o façam sentir vivo, seja uma boa corrida ou uma bela briga.

As coisas estão prestes a mudar quando Diogo é convidado para aquilo que deveria ser apenas mais uma corrida, chegando lá ele se depara com o "prêmio" a ser conquistado: uma mulher incrivelmente linda e indefesa, que parece estar perdida naquele meio e que parece ver toda a sua alma com apenas um olhar. Diogo agora tem outro motivo para se sentir vivo, correr mais do que á fez em toda a sua vida para proteger aquela mulher das garras de uma gente muito perigosa.

Lorena não teve uma vida fácil. Ela, a mãe e o irmão sempre viveram em torno do vicio do seu pai, até que um dia ele foi longe demais e a vendeu aos traficantes como pagamento de uma divida. Lorena poderia ter fugido daquela situação, não fosse a necessidade de proteger não si mesma, mas outra pessoa. Agora ela está sendo ofertada como premio para uma corrida, ou melhor uma competição de várias corridas, e deve ir para casa com cada vencedor. Ela sabe que seu destino foi traçado, mas isso não a impede de sonhar em se libertar e isso se torna cada vez mais real quando ela conhece "O anjo negro" um piloto refiro e com cara de mal, mas de quem ela consegue ver bem o coração.

Quando ele promete protege-la vencendo cada corrida para deixa-la livre Lorena entra em um misto de duvida e esperança, não apenas por ela, mas por alguém a quem ela ama e precisa proteger. Enquanto Diogo vai notando Lorena alcançar os cantos mais escuros do seu coração eles precisam lutar por suas vidas e pela necessidade de não entregar um ao outro, seu coração.


"Lorena não sabia e talvez nunca soubesse, que o maior premio ela já tinha me dado: a minha capacidade de me importar novamente."

Inexplicável amor é um livro que te conquista desde a capa perceberam? E a sinopse não fica muito atrás. Somos instigados a conhecer personagens tão distintos e uma história de amor tão improvável o bom nisso tudo é que, ao final da leitura, podemos nos alegrar com uma boa história. 

Diogo é um personagem ferido pela vida depois de perder a mãe e de certa forma o pai também, ele tinha tudo que uma criança quer dinheiro, uma boa casa, todos os brinquedos que quisesse... Ele só não tinha o que toda criança precisa: amor.

Por isso ele cresceu odiando a tudo e a todos, o que era ótimo já que tanto a adrenalina quanto as fortes emoções o faziam se sentir vivo. Diogo não se sentia capaz de amar. Nenhuma mulher, seu pai, sua irmã, ou qualquer pessoa para torna-la seu amigo. Quando ele se vê diante de uma mulher em perigo ele vê mais uma oportunidade de conseguir a adrenalina que o mantém de pé, mas Lorena não é só mais uma  mulher, ela é um desafio que o provoca e o assombra. Ele sabe que ela pertence ao chefe da mafia, mas quando ela, passo a passo, se infiltrar na sua vida e no seu coração, ele fará de tudo para manter a mulher da sua vida ao seu lado, mesmo que o preço a pagar seja exatamente a vida.

Lorena é uma personagem forte, mesmo depois de ser vendida ela nunca deixou de lutar pela liberdade ou pela liberdade daqueles que amam. Ela faz o que é certo quando é certo, mesmo que isso cause tanta dor em si mesma. Lorena viu em Diogo mais que o homem sombrio que prometeu ajuda-la, mas um homem quebrado pela vida. Diogo acha que não tem concerto, Lorena enxerga seu coração e sabe que eles estão errados, quando essas duas pessoas tão diferentes colidem o resultado só poderia ser um amor intenso, arrebatador e inexplicável. 

Esse livro é um romance repleto de adrenalina e emoção. Reviravoltas, surpresas, descobertas e é claro sensualidade, é uma leitura rápida, que apesar de não ter me feito perder o folego me prendeu até a ultima palavra. 

"Pela primeira vez me senti amado e a odiei. Odiei por saber que nunca mais esqueceria aquele olhar que aqueceu meu coração e iluminou alguma coisa na minha vida." 

Se eu recomendo? Claro que sim.
Preparem seus carros, a corrida vai começar!

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Meus Quotes || Borboletas na Janela

Olá Unis, tudo bem?
Trago para vocês hoje a seleção de quotes de uma das obras mais lindas e intensas que li esse ano. Borboletas na Janela da autora Sinéia Rangel é um livro intenso e apaixonante repleto de lições que nos faz refletir e repensar nossos atos. Eu amei lê-lo por isso escolhi alguns quotes que chamaram a minha atenção e decidi trazer para vocês, quem sabe vocês não se rendem a essa história como eu me rendi. Vamos lá?

"Abra suas asas... E voe!"

"Não fique triste, porque eu vou te esperar no céu e nós vamos voar de verdade como as borboletas na janela."

“O sorriso ficou gravado no seu rosto. Nem mesmo a morte pode apagá-lo.”

“Quando você se cansar se ficar bravo com o mundo e quiser conversar, ou apenas um abraço, ainda estarei aqui.”

"- Às vezes temos que dizer adeus para aqueles que amamos, porque o tempo deles aqui acabou.- E para onde eles vão?- Não sei, mas não importa. Porque a verdade é que eles deixam de viver no copo que conhecemos para morar no nosso coração."

"Nós voamos, como as borboletas na janela."
A obra:

Título: Borboletas na janela

Autora: Sinéia Rangel
Editora: Coerência
Páginas: 260
Ano: 2018
Skoob: AQUI
Comprar: E-book / Físico

Miguel Barcellar não esperava que o passado fosse invadir seu escritório, vestindo uma saia lápis, saltos Luiz XV, batom carmim e com um segredo que mudaria a sua vida. Há cinco anos ele se tornou pai. Em alguma parte do mundo, havia um filho que ele nunca conheceu, um garoto que foi entregue para adoção logo após o nascimento.
Leon cresceu entre abrigos e lares temporários, até que conheceu Elena. Com histórias de vidas parecidas, foi criado um vínculo de irmãos e uma promessa: nunca abandonariam ao outro. E quando essa promessa parece impossível de ser mantida, o destino faz a sua mágica.
Pais e filho se encontram. Uma família conta a sua história.E as borboletas voam.

sábado, 21 de julho de 2018

Resenha || Linha Vermelha - Quando Tudo Começou

Título: Linha Vermelha - Quando Tudo Começou
Autora: Pris Magalhães
Editora: Skull
Páginas: 200 / Ano: 2018 (Pré-venda)

Comprar: AQUI

Cientistas descobriram a cura para o HIV e finalmente a população mundial pôde se beneficiar da vacina que prometeu erradicar esse mal do planeta. A imprensa do mundo todo anunciou com grande alarde que a Aids estava às portas de ser erradicada.
Criado em laboratório, o novo microorganismo literalmente comia o vírus HIV das células e depois se autodestruía, mas o que eles não poderiam supor ou esperar é que o agente criado em para “comer” o vírus HIV apenas adormeceu. E um dia acordou.
Febre que queimava por dentro, pupilas dilatadas e convulsões, o maior problema não foi quando as pessoas começaram a morrer, mas quando estas começaram a voltar à vida, mas desta vez transformadas em mortos vivos.
Fronteiras foram fechadas, mas o mundo já havia sido contaminado e o Brasil, é claro, também está sofrendo com a nova era e mais precisamente em São Paulo, cidade com maior densidade populacional da América Latina, os sobreviventes resistem para se manterem vivos e longe dos zumbis e das novas facções que lutam por território e comando.




"Estão contra o vento, que trás o fedor rançoso dos bichos em lufadas sólidas de coisa podre e para piorar o tempo parece conspirar contra todos os planos ao anunciar as primeiras gotas de chuva."

Com um enredo original e uma força criativa sem igual,
"Linha Vermelha" é uma obra que nos revela o limite do caráter humano, que tende a mudar drasticamente diante de situações extremas e do desejo por poder. Uma história que amedronta e arrebata os leitores, uma aventura que passeia entre possibilidades, ciência e a consciência humana, nos revelando que algumas vezes o verdadeiro monstro somos nós.

Descobertas científicas estão sempre acontecendo e mudando as nossas vidas, mas nenhuma mudou tanto como a cura para o HIV. Após anos de experiências finalmente se chegou naquilo que pode erradicar de uma vez por todas esse mal que aflige milhares de pessoas pelo mundo.
Jornais, internet, redes sociais, anúncios por todos os lugares trazem as novas informações sobre a notícia que transformará a vida da raça humana trazendo esperança de um recomeço pra muitos.

Mas algo deu errado. Depois de dias que receberam a dose com o vírus que prometia "comer" o HIV destruindo-o , as pessoas tiveram diversos sintomas graves que os levaram a morte. Todos que tomaram injeção com a cura morreram e foi contatado que o vírus não estava destruindo o HIV, apenas o adormecendo e quando ele retorna, seu portador volta à vida.

Com as nações mundiais tomadas por essa espécie de zumbi, todas a fronteiras foram fechadas e os sobreviventes se esconderam para não serem pegos pelos bichos.

A família de Brunno morava em São Paulo, cidade que tinha esses monstros espalhados por todos os lugares, teve sua casa invadida pelos mortos-vivos e enquanto tentavam escapar uma estante cai sobre Brunno que fica preso e impossibilitado de sair da casa. Na tentativa de sobreviverem a família ele foge, o deixando pra trás.


"Um sobrevivente que nunca mais voltaria a ver a vida do mesmo jeito. Uma vida que ressurgiu mais forte depois de dois dias de fome, sede e medo tal que cada partícula das células de seu corpo se transformaram em algo novo, forte e violento. Dois longos dias em que Vida e Morte, essas duas senhoras aristocráticas sorriram e acenaram diversas vezes enquanto ele delirava contorcido dentro de uma estante de livros."

Quando consegue se soltar, Brunno se junta a uma facção que busca um plano para acabar com todos aqueles bichos. O novo grupo tem uma convivência amigável e após três anos juntos, os laços de amizade ficam mais forte. Como o tempo pode mudar tudo e às vezes os desejos humanos sobrepõem até os sentimentos, conflitos internos começam a acontecer e o verdadeiro inimigo talvez não esteja do lado de fora.

Quem disse que não pode ter apocalipse zumbi no Brasil? Pris Magalhães nos mostra que isso é mais que possível e nos apresenta uma história tão bem montada quanto as do rei do terror Stephen King.
Uma leitura eletrizante que nos faz pensar bastante, pois não é por ser terror que o livro não traria reflexões.
A história foi construída de uma forma que nos prende até o fim, nos fazendo perder o fôlego e especular sobre os próximos acontecimentos o tempo todo.

Logo no início do livro a autora introduz como tudo aconteceu, e por mais que ela use alguns termos científicos não é algo cansativo e nos faz entender melhor tudo que está acontecendo. É perceptível que a autora estudou sobre o assunto, pois sentimos muita propriedade enquanto lemos.

"Mal sabem que a Vida e a Morte jogam cartas juntas decidindo seu destino caso você seja um indeciso nessa roleta russa chamada existência."

Os avanços tecnológicos são extremamente importantes, independente da área no qual aconteça, mas essa leitura me fez pensar em como qualquer erro pode modificar drasticamente a nossas vidas. Apesar de serem criados para nos ajudar e facilitar nosso trabalho, é necessário tomarmos cuidado para isso não nos dominar e nos controlar. Assim como o vírus da cura matou tantas pessoas, a tecnologia pode tornar-se um vírus que mata nossos pensamentos próprios, nossa vida social, sendo até capaz de mudar até nosso comportamento. Quem nunca viu casos de adolescentes com problemas psicológicos devido ao mal uso das tecnologias? Às vezes discutir sobre isso parece besteira, mas é algo muito sério.

Eu gostei muito modo como alguns personagens se mostram afetados com todos os acontecimentos, afinal de contas eles estão vivenciando um apocalipse zumbi e isso certamente não é algo fácil. O ser humano é extremamente egoísta, mas ver personagens que mesmo colocando sua vida em risco prossegue com seus ideais para salvar várias pessoas foi muito interessante e inspirador. Gostei bastante.

"[...] vai encarar a Vida e a Morte de frente, pois sabe que ambas andam lado a lado e são damas satíricas que esperam pacientemente enquanto você vai fazendo escolhas que podem levá-lo diretamente para a porta de uma dessas duas senhoras. Ele já as viu, conhece bem como jogam."

Algo que gostaria de destacar é a amizade e ao mesmo falta de conhecimento que podemos ter das pessoas. Mesmo pertencendo a um grupo que convive três anos juntos, lutando unidos para sobreviver ninguém se conhece verdadeiramente. No nosso íntimo só nós sabemos o que acontece, mas diante de situações extremas quando nossa vida depende de outra pessoa, precisamos saber em quem confiar.

A capa está incrível! Assustadora sim, mas completamente condizente com o enredo que apesar de se enquadrar no gênero terror, não uma leitura que tenha tantas cenas de terror explícito ou que tenham me feito perder o sono. O final fechou bem esse primeiro momento e deixou um ar de algo ainda vai acontecer.
 Estou ansioso para ver o resultado final, quando o livro estiver impresso.

"Linha Vermelha" é um livro fascinante, intenso que mostra ao leitor os desejos obscuros da mente e as relações humanas em estados críticos. Uma narrativa permeada por suspense e segredos , num ambiente que o mínimo passo em falso pode levar a morte.



segunda-feira, 16 de julho de 2018

Parceria || Hêlo Delgado

É tão bom encontrar pessoas que acreditam no seu trabalho mesmo que você esteja no comecinho e a Helô é uma dessas pessoas.
Estamos mega felizes em anunciar mais essa parceria!

A Autora

 
Helô Delgado mal acredita que é chamada de autora e que suas histórias são lidas por aí. É mineira e já ultrapassou três décadas de vida. Divide seu tempo entre ler, escrever e se dedicar à família. Ama seu marido e se aventura na maternidade com um filho pequeno e um adolescente. Formada em Psicologia, pós-graduada em Psicanálise e Tradução, é apaixonada por literatura desde criança, principalmente por romances. Demorou muito para acreditar que conseguia escrever algo interessante. Nesse meio tempo, participou de blogs e revistas literárias, dando pitaco nos livros que lia. Levou o maior susto quando seu primeiro conto foi selecionado para uma antologia e mergulhou de cabeça na nova carreira. Dilacerada é seu primeiro romance. Entre Laços e Conflitos ganhou um concurso literário promovido pela Editora Coerência e será lançado na Bienal de São Paulo de 2018.

Livros:

Dilacerada



O que você faria se alguém do seu passado voltasse para a sua vida e você tivesse que enfrentar seus traumas?
Uma família peculiar. Uma mãe rigorosa. Um romance.
Aos 27 anos, Vivian é uma adulta marcada por seu passado e leva uma vida reservada. Não confia em quase ninguém e acredita ser incapaz de amar. Quando menos espera, depara-se com uma situação delicada, a qual evita por vários anos: a necessidade de buscar ajuda profissional para falar sobre seu passado, seus sentimentos e enfrentar seus conflitos mais profundos.






Entre Laços e Conflitos (Lançamento na Bienal de SP em 2018)



Amor, segredos e intrigas.
Aos dezesseis, Natália viu sua vida ser despedaçada. Sem alternativa, foi honesta com seu pai, juntou o que considerava importante e se mudou para a casa dos tios a quilômetros de distância. Deixou tudo o que conhecia para trás. Nunca mais viu nem conversou com sua melhor amiga ou seu ex-namorado. Ninguém soube que ela enfrentava o que acreditava ser o momento mais difícil da sua vida.
Agora, anos depois, chegou a hora de voltar. Uma situação fora do controle faz com que arrume as malas e volte para a cidade em que nasceu. Desesperada e correndo contra o tempo, precisa reunir forças para enfrentar o que sempre evitou.